Archive for the 'pensamentos e relexão' Category

Dec 30 2012

Feliz Novo Olhar :)

 

Sim, este ano foram somente 3 posts contando com esse…

Sim, eu queria ter vindo antes, mas…

Muitas coisas legais aconteceram em 2012… Comecei o ano fazendo meu tão sonhado intercâmbio em San Francisco – CA, passei meu niver/Páscoa com o pé na estrada e do jeitinho que eu queria com meu amor em um lugar que é um dos paraísos da região dos Lagos… Arraial do Cabo, fui dar um “Hola” para nossos vizinhos/hermanos e com isso tiquei mais uma cidade do meu sempre crescente mapa de viagens, trabalhei em projetos novos, com gente legal e outras vezes nem tanto – rsrsrsrs, fechei uma gestalt que abri lá trás quando comecei meu primeiro curso de inglês há uns 8/9 anos. Consegui terminar um curso bacana e isso me deixou orgulhosa demais  entre outras coisas.

Ou seja, vive o ano de 2012 no melhor estilo Vivi com sorrisos e sometimes algumas lágrimas, porque ajuda no crescimento do ser :)

 

Agora vou deixar um texto que consegui com a minha amiga Lu Lacerda para começarmos nosso 2013 com um novo olhar…

 

O grande lance é viver cada momento como se a receita de felicidade fosse o AQUI e o AGORA.

Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais…, mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?
Quero viver bem! Este ano que passou foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões. Normal. As vezes a gente espera demais das pessoas. Normal. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.
O ano que vai entrar vai ser diferente. Muda o ano, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí? Fazer o quê? Acabar com o seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?
O que desejo para todos é sabedoria! E que todos saibamos transformar tudo em boa experiência! Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim… Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou, passe-o para a categoria 3. Ou mude-o de classe, transforme-o em colega. Além do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém.
O nosso desejo não se realizou? Beleza, não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento: CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE.
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam bem diferentes.
Desejo para todo mundo esse olhar especial.
O ano que vai entrar pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. O ano que vai entrar pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular… ou… Pode ser puro orgulho! Depende de mim, de você! Pode ser. E que seja!!!
Feliz olhar novo!!! Que o ano que se inicia seja do tamanho que você fizer.
Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!”
 Carlos Drummond de Andrade

FELIZ ANO NOVO!!!

 

Namastê :)

6 responses so far

Dec 27 2011

Faz sentido…

Travel

By Facebook

No responses yet

May 28 2010

Eu sei, mas não devia

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagar mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma. (1972)

Marina Colasanti

O texto acima foi extraído do livro “Eu sei, mas não devia”, Editora Rocco – Rio de Janeiro, 1996, pág. 09.

 

Obrigada Love e Aline pelo texto e , pela bela imagem mais uma vez :)

Bom findi amigos!

Namastê :)

14 responses so far

May 25 2010

Ouse

Ouse!!!!!!
O passo a mais que, longe, muito longe, damos a cada caminhada é o que nos coloca mais próximos de tudo o que ainda podemos ser.

A tentativa além, um pouco mais além, de todas as que já fizemos é a que mais claramente revela do que somos capazes e até onde poderemos chegar.

Quantos de nós nos entregamos antes mesmo de tentar.

Pela simples dificuldade de perceber que é possível ultrapassar o limite do círculo que em torno de nós e ao longo da vida traçamos.

Quantas vezes estivemos na iminência de girar a maçaneta da porta que nos levaria da escuridão à claridade e não o fizemos, simplesmente por não aceitar o impulso livre, soberano e intuitivo que conduzia nossas mãos a girar.

Por não crer na liberdade, nos impulsos da alma e na própria intuição.

Quantas vezes hoje você ouviu seu coração?

Sem temer, sem limitar, sem pré-conceber, sem pré-julgar, sem se prender, deixando-se levar pelo prazer de descobrir, correr riscos e realizar.

Pobre de quem põe a nuvem do medo diante dos olhos.

Que prefere fugir a se dar o direito de praticar o sonho.

Tem aquele que, sem saber que era impossível,foi lá e fez

Esta é sua vez.

O verdadeiro poder é de quem ousa.

Ouse fazer

Autor Desconhecido

Foto daqui. Obrigada Lu!

Obrigada Love!

Namastê :)

6 responses so far

Jul 27 2009

Simplesmente EU!

335.365 - Smile :) 

Sou sol, algumas vezes chuva e raramente tempestade, mas rapidamente viro um tufão.

Não sou nem quente e nem gelado, sou misturada.

Sou brasileira, amada e amante de um portuga-brasuca e apaixonada pela Espanha.

Sou praia até o fim, mas vou chorar o dia que ver os primeiros flocos de neve.

Sou água, oceano, cachoeira…Sou totalmente sentimento.

Sou AZUL, mas preto, verde, roxo caem muito bem no meu armário

Sou manteiga  e choro em filmes românticos.

Sou romântica e adoro paparicos.

Sou coração 99,9%.

Reclamo fácil, mas também faço elogios na mesma proporção

Meu nome é Teimosia e meu sobrenome é Cabeça-dura

Sou ARIANA e AVENTUREIRA

Sou filha, irmã, tia postiça, mulher, amante, nora, “conhada”, amiga…

Vivo nas nuvens :)

Sonho, sonho e sonho…Sonhar é o primeiro passo para realização

Sou Europa por paixão

Meu lugar no mundo com certeza ̩ no Porto РPortugal

Meu cheiro é de alfazema

Sou foto, fotografia, photoshop…

Coleciono postais e DVDS

Se gosto de um filme vejo, revejo,re-revejo…

Sou cinema, teatro e muita música

Sou ansiedade pura

Adoro filminhos “água com açúcar”

Complicadinha e bronquinha (às vezes) e nunca perfeitinha(nem quero)

Gosto do cheiro da terra molhada pela chuva

Tenho medo de trovoadas

Sou moleca e adoro travessuras

Sou mandona :)

Não sei estacionar bem, mas não dirijo mal :)

Sou “avoada” e super desastrada :)

Gosto de ficar sozinha com os meus “botões”, mas amo as boas companhias

Muitas vezes me sinto em cima do muro como uma boderline, mas nunca fico ali por muito tempo

Não ria, mas tenho medo de pinto e qq outro bicho de pena :)

Amo idiomas e hoje refaço inglês, pra depois fazer espanhol :)

Sou livros, acho que com eles chegamos a lugares fantásticos

Sou organizada e gosto de tudo bemmm arrumadinho

Ehehehe falo pelos cotovelos :)

Gosto de trabalhar em equipe, penso muito melhor em grupo :)

Amo planejar minhas viagens e as dos outros também…Me faz bem :)

Uso óculos desde os 18 anos e sou “sem noção” para usar lente

Tenho um sinal desde sempre embaixo do meu dedão do pé direito

Sou filha de cabeleireira, mas ODEIO passar horas no salão

Não gosto de malhar, mas…é um mal necessário

Já tive catapora, sarampo, caxumba e tocsoplasmose

Entrei nos “inta” esse ano :)

Sou Balzaca e feliz :)

Não tenho filhos…AINDA! :)

Sou a filha mais velha

Tenho 2 irmãos

Fui a primeira neta das duas famílias :)

Aprendi andar de bike na pracinha perto de casa

Tenho poucos, mas BONS amigos :)

Prezo muito uma boa amizade

Tenho amigos até hoje que fiz através de cartas(não tinha acesso a e-mail nesta época)

Em alguns momentos egoísta, mas já aprendi muito e hoje estou mais madura – rs

Sou psicóloga, mas já pensei em ser aeromoça e jornalista :)

Sou AMOR e amo VIVER!

 

*Gostei tanto deste “exercício” que fiz comigo mesma, que vou deixá-lo na parte superior do blog em “Simplesmente Eu”.

Namastê :)

18 responses so far

Jun 29 2009

Enquanto isso dentro de mim…

Photobucket

Sou um móbile solto no furacão…
Qualquer calmaria me dá… solidão

Paulinho Moska

 

 

Foto by Clark Little (e-mail que Maíra me repassou)

6 responses so far

Jan 02 2009

Oi 2009! Seja bem vindo!

Feliz Olhar Novo

O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua
história.
O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse 0 AQUI e o AGORA.
Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove
demais…
Mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao
dia?
Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho? Quero viver bem.
O ano que passou foi um ano cheio.
Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e
desilusões. Normal.
Às vezes se espera demais das pessoas. Normal.
A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor
machucou. Normal.
O próximo ano não vai ser diferente.
Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a
natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí?
Fazer o quê? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?
O que eu desejo para todos nós é sabedoria!
E que todos saibamos transformar tudo em uma boa experiência!
Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim…
Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou,passe-o para a categoria três, a dos colegas.
Ou mude de classe, transforme-o em conhecido. Além do mais, a gente,
provavelmente, também já decepcionou alguém.
O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a
melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro: CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE).
Chorar de dor, de solidão, de tristeza faz parte do ser humano. Não adianta
lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes.
Desejo para todo mundo esse olhar especial.
O próximo ano pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso.
Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro.
O próximo ano pode ser o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular… ou…
Pode ser puro orgulho!
Depende de mim, de você!
Pode ser.
E que seja!!!

Feliz olhar novo!!!

Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para
repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos,
afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e
acreditarmos neles!

Carlos Drummond de Andrade

Obrigada  Angie pelo texto :)

Namastê

14 responses so far

Oct 13 2008

Isso faz bem pra alma…

Bom dia amigos!!!!

 

sem título A cada dia que passa me vejo mais apaixonada pela fotografia :)

É algo realmente muito bom, faz um bem danado pra alma e como sempre digo é minha terapia (e nem preciso pagar por ela- rsrsrsr)

Com certeza fui picada pela “abelha azul” da fotografia e querem saber a verdade….Tô amando!rsrsrsrsr

Hoje, estava eu abrindo a home do UOl e de cara vejo este link, que me levou para essa page maravilhosa do fotógrafo Adriano Gambarini (fotógrafo e escritor). Lá vi uma sessão de fotos que ele fez em Paris em P&B com uma Nikon Nikon FM2 filme PB Tri-X. Essa foto aqui do lado é uma delas, olha que beleza…

Eu adoro fotos em P&B, acho que tem um certo “Q” de  boa nostalgia, um lirismo e romantismo e se tratando de Paris tudo isso tá ali, bem na cara de quem tem sensibilidade para “ler” e ver :)

Não sei fotografar com filme (ainda mais P&B), ainda tá um pouco acima dos meus “pobres” conhecimentos de fotografia, mas um dia vou me aventurar com uma das câmeras lá do Atelier e quem sabe não me surpreenda com o resultado :)

Parabéns ao fotógrafo Adriano Gambarini pela sutileza e olhar apurado para o simples.

 

Ai, ai…Deixa eu voltar aos meus afazeres mundanos, pois já “viajei” bastante hoje - rsrsrsrs

 

Namastê :)

27 responses so far

Apr 18 2008

Blogagem Coletiva: O que voce faz para acabar com o analfabetismo no Brasil?

Photobucket

Hoje é o Dia Nacional do Livro, um dia que infelizmente no BR é pouco comemorado.

Nossas amigas Meiroca e Georgia fizeram a proposta de fazermos uma blogagem coletiva hoje sobre o analfabetismo no BR e a pergunta era: O que voce faz para acabar com o analfabetismo no Brasil? e cerca de 200 blogueiros ficaram de dar sua resposta hoje.

Bem, eu pensei, pensei e pensei…

Sinceramente acho que faço muito pouco como cidadã para acabar com o analfabetismo na minha cidade/bairro. Mas sempre que faço minhas limpezas de livros, eu os doou para blibliotecas de escolas ou do bairro, NUNCA jogo livros fora, acho um pecado.

Acho que devemos incentivar nossos filhos, sobrinhos, vizinhos, filhos dos amigos a leitura desde cedo, pois é assim que fazemos bons leitores para o futuro.

Um super bjão.

 

PS. Bom feriadão! Eu tô indo dar uma volta e retorno na segunda :)

 

Namastê :)

11 responses so far

Mar 19 2008

Felicidade não se compra, mas se herda?

Photobucket

A reportagem que eu li no jornal O Globo de domingo na seção Ciência/Saúde diz que pelo menos uma parte dela sim :)

A reportagem dizia que a herança genética é responsável por até 50% da nossa felicidade e que dinheiro, uma carreira boa, um grande casamento não são garantias de felicidade duradoura. Pra ser feliz é preciso uma boa herança genética e cultivar gestos positivos diante das situações cotidianas.( vamos praticar amigos).

Sonja e Sheldon, pesquisadores da Universidade da califórnia  fazem testes pra saber se é possível fazer uma pessoa ser mais feliz e esses estudos são importantes pra entender melhor as causas da depressão e o que torna as pessoas mais felizes ou infelizes.

Eles afirmam que embora muitas pessoas digam que “se tivesse X, seria feliz”, elas não seriam, isso é um mito, porque quando conseguir “X” ela será feliz por um curto período e em seguida começará a querer Y. Freud já dizia isso, o dia que a gente não quiser conquistar mais nada, será a morte.

E vocês, oque acham disso?

O que deixam vocês felizes de verdade?

 

Um super bjão!

 

Namastê :)

11 responses so far

Next »