May 28 2010

Eu sei, mas não devia

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagar mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma. (1972)

Marina Colasanti

O texto acima foi extraído do livro “Eu sei, mas não devia”, Editora Rocco – Rio de Janeiro, 1996, pág. 09.

 

Obrigada Love e Aline pelo texto e , pela bela imagem mais uma vez :)

Bom findi amigos!

Namastê :)

14 responses so far

14 Responses to “Eu sei, mas não devia”

  1. lu olhosdemaron 28 May 2010 at 6:29 pm

    meninaaaa eu amo esta imagem!! e o texto é perfect! bjao!

  2. camilleon 29 May 2010 at 9:24 am

    Ah esse texto é lindo. Eu tb gosto muito. E realmente a gente nao devia se acostumar com nada que nos agride de alguma forma. O pior é que acostuma.
    Beijos Vivi.
    Cam
    .-= camille´s last blog ..Na Festa de Babette =-.

  3. celiaon 29 May 2010 at 9:34 am

    Realmente o texto está certo. Nos acostumamos a tudo na vida. Na luta pra ser feliz, pra viver bem nos acostumamos, mesmo que isso deixe sangramento.
    Tenha um bom findi. Bj
    .-= celia´s last blog ..ESTIVE SUMIDA !!!!!!! =-.

  4. Meireon 31 May 2010 at 4:20 am

    Como vc esta Vivis? Passou bem o final de semana?
    .-= Meire´s last blog ..Baixe grátis cartazes de filmes =-.

  5. Nathon 31 May 2010 at 10:34 am

    Adorei o texto!!
    .-= Nath´s last blog ..Metade =-.

  6. anunciaçãoon 31 May 2010 at 5:55 pm

    É muito bom rever esse texto;nos lembra de coisas essenciais.
    .-= anunciação´s last blog ..Vaidade =-.

  7. Elison 01 Jun 2010 at 10:14 am

    O texto eh mesmo belo, mas eu ainda continuo na luta pelo ” eu nao me acostumo “.

  8. Janon 01 Jun 2010 at 12:48 pm

    O texto é perfeito amiga! Olha estive uma semana em Lisboa sim, passei por Fátima e Famalicão enquanto estive lá para encontrar com os amigos portugueses.
    Beijão
    .-= Jan´s last blog ..Mês Junino…e com uma Copa do Mundo! =-.

  9. Mion 02 Jun 2010 at 11:04 am

    a gente se acostuma a quase tudo, mas tb é um jeito de sobreviver ;) imagina tb estar sempre mudando tudo, nao se acostumando a nada e nao ter nem uma rotinazinha? Que stress ne? hehe bjs!
    .-= Mi´s last blog ..O guarda-chuva =-.

  10. Lauraon 04 Jun 2010 at 9:04 am

    Eu gosto muito desse texto Vivi!!! Acho que é sempre bom rele-lo, pois com algumas coisas somos obrigados a nos acostumar, mas tem outras que podemos mudar!!!

    Beijosss
    .-= Laura´s last blog ..Adoro!!!!! =-.

  11. aninha ponteson 06 Jun 2010 at 5:54 am

    Também continuo na luta, para não me acostumar com o que não é bom.
    Mas é difícil. As coisa vem chegando e ficando. E quando nos damos conta, já faz parte de nossa rotina.
    É muito bonito o texto.
    Um beijo

  12. Anaon 06 Jun 2010 at 7:06 am

    Na vida acabamos nos acostumando com tudo: o bom e o ruim. De vez em quando precisamos sacudir a poeira e “quebrar” essa rotina, por uma vida mais saudável, com mais qualidade.
    Já vou lá sacudir a minha!!
    Bom fds!
    .-= Ana´s last blog ..Sex & the City 2 – o filme =-.

  13. gregon 08 Jun 2010 at 2:16 pm

    oi vivi,

    quem te escreve e o Greg, eu tenho a niana e o tom, e tambem sou casado com a bibi!!!!

    eu perdi o telefone da Ale , e eu estou indo para UK E FR a negocios e para ficar com minha irma em Nice por 10 dias, eu gostaria de tomar um Pinot com ela e o marido e amigos , estarei por la apartir do dia 16 , por favor se voce puder e conseguir repasse meu email para ela, meus telefones sao 01184349934 ou 01198137862.

    bjs

    greg

  14. celiaon 10 Jun 2010 at 1:37 pm

    Deixei um recadinho pra vc lá no meu blog. Bj
    .-= celia´s last blog ..MEME!!!!! =-.

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply

CommentLuv badge